Carregando...

Centro de Oncolocologia em Ponta Grossa.

Câncer de Mama, como diagnosticar e tratar

09/03/2018

Câncer de Mama, como diagnosticar e tratar

É o tipo de câncer mais frequente em mulheres, depois do câncer de pele. Segundo o INCA, no ano de 2015, mais de 57.200 mulheres receberão o diagnóstico desta doença, e mais de 13.000 mulheres morrerão de câncer de mama neste ano no Brasil. É o câncer que mais mata mulheres no nosso país, por isso a importância de se discutir sobre campanhas de conscientização como Outubro Rosa, visando informar a população sobre a importância do diagnóstico precoce, a única maneira de diminuir os casos de morte por esse tipo de câncer.

            A mamografia é o exame de escolha para o rastreamento, objetivando o diagnóstico precoce do câncer de mama. A idade de início para se fazer a primeira mamografia é discutível e deve ser individualizada. A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda que a primeira mamografia deve ser feita com 40 anos.

O objetivo da mamografia é diagnosticar alterações na mama, antes que elas se tornem palpáveis, aumentando as chances de cura nos casos de câncer. O auto exame é útil, porém, nos casos em que o nódulo já é palpável, a chance de cura é menor em comparação ás pacientes que diagnosticam o câncer antes de se tornar palpável.

O tratamento do câncer de mama é individualizado e multidisciplinar, isto é, envolve uma equipe composta por Mastologista, Oncologista Clínico, Oncologista Cirúrgico, Radioterapêuta, Psicóloga, Enfermeira, Nutricionista. Deve ser realizado em Centros com experiência e que dispõe de equipe completa para poder realizar um tratamento de qualidade.

O tratamento das pacientes com câncer de mama depende de vários fatores, como idade, estadiamento, ou seja, tamanho do tumor ou envolvimento de outros órgãos, assim como fatores relacionados ao resultado da biópsia.

Basicamente o tratamento é realizado com quimioterapia, ou seja, um conjunto de medicamentos realizados intravenosos, que combatem sistemicamente a doença. Pode ser realizada antes da cirurgia, em casos de tumores maiores, ou depois da cirurgia em casos de tumores menores. Assim como, em casos em que a doença já esteja em outros órgãos, poderá ser o único tratamento.

A cirurgia é um dos pilares do tratamento do câncer de mama. Poderá ser realizada depois da quimioterapia ou antes, na dependência de cada paciente. A cirurgia do câncer de mama evoluiu muito nos últimos anos. Atualmente, sempre que possível, as cirurgias são conservadoras, isto é, preserva-se tecido mamário saudável, o que melhora a qualidade de vida das pacientes, não alterando o resultado oncológico. Em casos que necessite a retirada completa da mama, existem várias técnicas de reconstrução, como expansores, próteses, retalhos da própria paciente, porém a escolha deve ser individualizada.

A Radioterapia é realizada em casos selecionados, sempre após a cirurgia e a quimioterapia. É um tratamento locoregional que envolve irradiação, objetivando o controle local da doença.

Existem outras estratégias de tratamento, como a hormonioterapia, que, assim como a quimioterapia tem indicação em casos selecionados e atua sistemicamente.

O acompanhamento para pacientes que tiveram câncer de mama é fundamental, uma vez que as pacientes deverão ser monitoradas clinicamente para sempre. 

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante sua navegação em nosso site. Ao continuar, você concorda com a nossa Política de Privacidade.